Elias: um grande profeta.

Elias foi um grande profeta que impactou o mundo de sua época. Foi chamado por Deus para realizar uma grande e importante obra de avivamento em Israel num período de idolatria e apostasia espiritual. Sua vida foi marcada por momentos de altos e baixos. Este texto se preocupa com as percepções erradas de Elias quando atravessava um momento adverso.

Acabe, rei de Israel, havia se casado com Jezabel, filha Etbaal, rei dos sidônios. Jezabel trouxe para Israel centenas de sacerdotes e profetas de sua religião e encorajou Acabe a construir santuários para a adoração a Baal e ainda perseguia os profetas do Senhor e mandava matar todos aqueles falassem contra seus atos idolatras. A Bíblia diz que “Acabe fez muito mais para irritar ao Senhor do que todos os reis de Israel que foram antes dele” (I Rs 16.33).

Deus procurava (Sl 101.06; Ez 22.30; Sl 89.20) um homem com disposição, disponível, destemido e corajoso. O Senhor levanta Elias, homem sem genealogia que não possuía amizades influentes, a única identificação bíblica é que ele era um tisbita que residia na terra de Gileade. “Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes” (I Co 1.27).

Elias triunfa no ministério e três grandes eventos merecem destaque. No primeiro evento ele profetiza que não haveria chuva e durante três anos e meio sequer uma gota d’água caiu do céu para regar a terra. No segundo evento Elias trava um desafio contra os profetas de Baal a fim de mostrar ao povo de Deus que somente o criador dos céus e da terra é capaz de ouvir e responder orações, Elias sai vitorioso, pois Deus responde com fogo. No terceiro evento, Elias clama ao Senhor por chuva sobre Israel e o Senhor responde com chuvas torrenciais. Elias era um campeão de Jeová, um vitorioso, um mais que vencedor (Rm 8.37).

A Bíblia declara que Elias era um homem sujeito as mesmas circunstancias e adversidades comum a todos os homens (Tg 5.17). Jezabel conhecendo o triunfo de Elias contra os profetas de Baal e Azera envia mensageiros a dizer que no dia seguinte o profeta de Deus estaria morto (I Rs 19.2). A morte do profeta já esta encomendada, a fornalha já esta acesa, a cova cheia de leões, o prato já esta na mão do executor que servirá de palco para exibirem sua cabeça, mas a Palavra de Deus em Sl 105.15 diz “Não toqueis nos meus ungidos e não maltrateis os meus profetas” e Sl 91.7 “Mil cairão ao teu lado e dez mil a tua direito e tu não serás atingido…”.

Diante das ameaças de Jezabel, Elias vai ao deserto e ali comete três erros de percepção. Elias acreditava que estava só, que estava tão exausto fisicamente a ponto de colocar fim ao seu ministério e a sua vida e que havia fracassado. Elias estava enganado.

Elias não estava sozinho havia sete mil profetas que não havia se curvado diante de Baal. Os dois discípulos no caminho de Emaús conversavam com profunda tristeza sobre a morte do seu mestre, Jesus já ressuscitado caminhava e conversava com eles, no entanto, não o reconheceram, pois a adversidade dá a sensação de solidão e de abandono. Deus não abandona o homem, desde o jardim do Éden até o arrebatamento existe um representante celestial na terra. “Pode uma mulher esquecer-se tanto do filho que cria que se não compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas, ainda que esta se esquecesse, eu, não me esquecerei de ti” (Is 49.15). Não temas, pois, porque estou contigo (Is 43.5); Jesus disse “eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre”(Jo 14.16).

O excesso de compromissos do homem moderno podem levá-lo a exaustão física e mental. Após uma longa viagem, Elias estava cansado a ponto de achar que a morte seria a melhor solução. Muitos pastores e obreiros cansados, sem forças para ler a Bíblia, sem animo para adorar e sem dinamismo no serviço cristão. O cansaço influencia as decisões e bloqueia o potencial humano. Elias sob a ordem do anjo se alimenta e depois dorme. A alimentação e o repouso renovam a energia de um corpo cansado. Descanso é tempo de reparo e de renovação, uma mente renovada ajuda a liberar seu potencial. Jesus ensinou sobre o descanso e repouso. “… Venham comigo para um lugar deserto de descansem um pouco” (Mc 6.31). O ato de descansar em Deus (Sl 37.7) implica em deitar-se na cama da providencia e se cobrir com o manto da dependência divina. Quem depende de Deus não fica frustrado.

Elias pensou que havia fracassado, mas, na verdade havia conquistado uma grande vitória, cumpriu a vontade de Deus. Quando Jesus morreu na cruz do Calvário os discípulos pensaram que o projeto de Deus tinha sido frustrado, no entanto, na mente de Deus o projeto tinha sido concretizado com sucesso. As circunstancias podem até demonstrar aparente derrota, mas, olhe com cuidado e verás que a vitória é sua. “Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angustia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia, fomos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas as coisas somos mais que vencedores, por aquele que nos amou” (Rm 8.35-37).

 

Escrito por Ev. Dario Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s