Falta Pão em Belém

E sucedeu que, nos dias em os juízes julgavam, houve uma fome na terra; pelo que um homem de Belém de Judá saiu a peregrinar nos campos de Moabe, ele, e sua mulher, e seus dois filhos. (Rt 1.1)

 Belém significa “casa de pão” e o texto em apreço declara que havia fome. Diante de tão grave situação, Elimeleque “Deus é Rei” e Noemi “agradável” levaram os dois filhos para peregrinar na terra de Moabe. Após dez anos em Moabe Noemi passou a se chamar Mara “amargura”. O versículo um (1) é suficiente para transmitir ensinamentos profundos relacionados à Igreja e aos indivíduos que a frequentam.

A Igreja é o local onde as pessoas não buscam pão para sustentar o corpo, mas pão que sustenta a alma (Dt 8.3). As pessoas lutam todos os dias, enfrentam dificuldades e problemas diariamente e na Igreja buscam uma Palavra que as fortaleça e as faça entender que vale a pena continuar lutando. A Palavra de Deus gera esperança, salva, cura, liberta, consola, fortalece e guia o homem ao céu, e esta Palavra deve estar presente na Igreja.

Infelizmente, muitas pessoas ficam frustradas ao buscarem na Igreja uma Palavra oriunda do coração de Deus e não a encontram. Os púlpitos estão repletos de pastores que por negligencia ou falta de tempo não tiveram acesso ao ensino teológico que combinado a vocação e oração os qualificariam a exercer o pastorado. Os resultados são ministrações sem conhecimento bíblico e secular e desprovidas de inspiração.

O pastor foi transformado em algo que Cristo nunca quis que ele fosse. O pastor ideal segundo Bíblia conduzia o rebanho a pastagem e a água fresca (Sl 23), o pastor atual corre de um lado para o outro buscando dinheiro, conquistando voto, construindo templos e fazendo a vontade de lideres impregnados de vaidades e costumes hollywoodianos. Parecem firmar-se sobre a cabeça e pensar com os pés. Este tipo de pastor briga pela religião, mas não luta pelo Reino de Deus que esta acima de qualquer homem ou ministério.

Ainda existe instituição religiosa cujo líder sem visão social não assalaria o pastor da congregação. Este trabalha durante o dia visando atender suas necessidades básicas, corre para a Igreja e sem tempo de se preparar prega uma Palavra que não sacia a fome, não empolga ninguém e não desperta nos ouvintes o desejo de voltar no culto seguinte. Os dentes da pregação foram arrancados e os pregadores mordem com a gengiva, a mensagem não faz efeito. Esta é uma situação extremamente perigosa, pois a fome gera o desespero no homem.

Quando uma pessoa vasculha uma lata de lixo, saiba que ela não esta folheando cardápio nem preocupada com prazo de validade, ela só quer saciar a fome. Aqui esta a resposta do porque qualquer “profetinha de Orkut”, animador de platéia ou palestrante de auto-ajuda faz sucesso, as pessoas querem sentir qualquer coisa a ponto de abrir mão da disciplina bíblica coerente. E em uma cascata desenfreada ingerem absurdos em nome de Deus.

Quando falta Pão na casa de Deus o êxodo de almas é inevitável. É notável que de 1980 até hoje o catolicismo perdeu muitos membros para as chamadas Igrejas Pentecostais, no entanto, não há razões para empolgação, mas para redobrar a atenção, pois a falta de sermões coerentes, a ausência de dinamismo e os escândalos envolvendo pastores tem levado o povo a se ausentarem da Igreja a fim de se alimentarem de tudo o que a terra de Moabe pode oferecer. Em Moabe morreram Elimeleque e seus filhos.

Quando voltar a ter Pão em Belém, multidões de todas as tribos, povos e raças virão com o intuito de saciar a fome espiritual por meio da Palavra de Deus. O murmúrio dos famintos percorre a terra, há um rumor que se espalha pelas ruas e becos de Moabe, ouve-se o pregador dizendo que não é uma farsa. É real! E não são migalhas são Pães que descem do céu para o coração do homem. Noemi voltará com o nome de Mara “amargura”, no entanto, achará repouso e alegria diante da abundância de Pão. Haverá benção para Rute a moabita, amiga de Noemi, pois onde há Pão celestial existe a certeza de salvação para todos independente de origem ou posição social.

          “Cada qual sussurre consigo mesmo no intimo de sua alma: que coisa terrível seria para mim, se eu ignorasse o poder da verdade que estou preparado para proclamar. Um pastor destituído da graça é semelhante a um cego eleito professor de ótica, que faz filosofia sobre a luz e a visão comentando e distinguindo para os outros os belos sombreamentos as delicadas combinações das cores prismáticas, enquanto ele mesmo esta absolutamente em trevas. É um mudo elevado a cátedra de ópera, um surdo a falar sobre sinfonias e harmonias. Uma toupeira pretendendo criar filhos de águias, um molusco eleito presidente de anjos”. Spurgeon 

          “Precisamos ter luz e calor, sermão e pregação. Luz sem calor jamais afetará a quem quer que seja; calor sem luz não tem valor permanente. No que consiste a pregação? Em lógica pegando fogo! Em raciocínio eloqüente! Em teologia em chamas.” Martin LIoyd-Jones

Texto escrito pelo Ev. Dario Mendes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s